Aluno de Manaus que fez ameça em menção aos assassinatos em Suzano, será transferido

Em um grupo de WhatsApp, aluno de 17 anos afirmou que estava inspirado em realizar o mesmo atentado ocorrido na escola de Suzano, em São Paulo.

A Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino (Seduc-AM) classificou a ameaça de atentado ocorrida na manhã desta quinta-feira, no Instituto de Educação de Amazonas (IEA), como “isolado, ocorrido de forma atípica”.  A secretaria fará reuniões para realinhar medidas de segurança e não descarta transferir o adolescente para outra unidade para evitar retalhações e insegurança.

A ameaça ocorreu um dia após a tragédia em Suzano (SP), quando dois ex-alunos de uma escola pública mataram oito pessoas. Um dos assassinos alvejou o comparsa e também se matou, totalizando dez mortos.

A Seduc informou, em nota, que tomou conhecimento das ameaças que vinham sendo feitas por um aluno e um ex-aluno, inicialmente em redes sociais, por meio dos pais e do gestor do instituto.  Ainda segundo a secretaria, os responsáveis pela ameaça foram encaminhados à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DAAI) acompanhados pelo gestor e o pedagogo da escola.

No próximo sábado, segundo a Seduc, será realizada uma reunião  previamente convocada, com gestores e professores das escolas para realinhar medidas de segurança, tendo como foco reforçar as orientações para todo o corpo escolar, incluindo os agentes de portaria.

A Seduc ressalta, ainda, que tem como prioridade em conjunto com os gestores pautar pelo maior controle do acesso à escola tanto em relação aos alunos quanto de pais e responsáveis.  Além disso, irá reforçar a necessidade de contato direto com as Companhias Interativas Comunitárias (Cicoms), que dão suporte no atendimento e presença dos policiais na área externa da escola.

Pânico no IEA

Um aluno do 2º ano do Ensino Médio ameaçou na manhã desta quinta-feira (14) cometer um atentado no Instituto de Educação do Amazonas (IEA), localizado na rua Ramos Ferreira, no Centro de Manaus. O fato gerou medo e desespero nos outros estudantes. A Polícia Militar do Amazonas (PMAM) foi acionada para apurar o ocorrido na unidade de ensino e os alunos liberados. O jovem foi levado à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai).

Juliana Silva, de 25 anos, é irmã de um estudante da escola e foi chamada para ir ao local pelo próprio familiar. Segundo ela, dois alunos ameaçaram começar um tiroteio, como foi registrado nessa quarta-feira (13), em uma escola de rede estadual na cidade de Suzano, em São Paulo. De acordo familiares, um dos alunos estava na unidade de ensino, enquanto outro passava informações da rua.

“Por volta das 9h, meu irmão me mandou mensagem desesperado. Ele disse que tinha dois alunos, da sala dele, ameaçando realizarem um atentado na unidade de ensino. Eles ficou desesperado e por isso corri para cá”, explicou ela.

Juliana conta que um dos alunos, que ameaçou cometer o atentado, parabenizou em um grupo do WhatsApp, os dois homicidas que provocaram a tragédia na escola de São Paulo. “Hoje pela manhã, o meu irmão me contou, que um dos alunos parabenizou o ocorrido em São Paulo e disse que estava inspirado para fazer o mesmo. Ele não veio para a aula, mas ficou mandando mensagem para o colega, de como deveria ameaçar os estudantes de forma física”, explicou.

A ameaça gerou confusão na escola. Muitos pais se encaminharam até a unidade de ensino para encontrar os filhos. “Aqui está uma confusão. Não sabemos se o garoto está armado, ou não. Um deles está fora da unidade passando as coordenadas. Muitos alunos não estão se sentindo bem. A diretoria ainda está nos expulsando”, relatou.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *