No AM, alunos com paralisia cerebral são inseridos ao cotidiano escolar

No dia 6 de outubro é o Dia Mundial da Paralisia Cerebral, a data foi criada com o objetivo de garantir que crianças e adultos com paralisia cerebral tenham os mesmos direitos, acesso e oportunidades que qualquer outra pessoa na sociedade. Em Manaus, a Escola Estadual de Educação Especial Diofanto Vieira Monteiro atende estudantes com deficiência intelectual e múltipla, incluindo os estudantes com paralisia cerebral.

A escola trabalha com aulas adaptadas, referente às disciplinas distribuídas para aquele dia da semana, como jogos, Educação Física, informática, Teatro, Estudos da Natureza, Língua Portuguesa, Matemática, Geografia e História.

A metodologia utilizada é o lúdico, as atividades manuais e as oficinas para o processo de alfabetização, sempre levando em conta o grau de dificuldade dos estudantes para os devidos apoios necessários.

Os educadores de apoio são os responsáveis por ajustarem os recursos de acessibilidade como os suportes para firmar o lápis na mão, prancha adaptada para apoio na escrita, fichas de comunicação alternativas, quando a paralisia compromete a fala.

Na área pedagógica, os professores dialogam sobre as práticas no Horário de Trabalho Pedagógico Coletivo (HTPC), para entenderem as experiências que foram bem sucedidas com os estudantes.

A avaliação engloba o momento da observação e do processo de desenvolvimento dos referidos estudantes, o que consegue realizar sozinho ou com suportes de apoio.

Os avanços ou não avanços vão sendo lapidados e registrados para a melhoria e aprimoramento dos recursos

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *