Portal Você Online

Câncer de mama é segundo tumor mais incidente entre amazonenses; Estado prevê 500 novos casos neste ano

O Amazonas deve registrar, em 2024, 500 novos casos de câncer de mama e a mamografia é um exame essencial para o diagnóstico precoce e cura da doença.

O alerta é da médica mastologista e gerente do serviço de Mastologia da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), Hilka Espírito Santo.

No dia 5 de fevereiro, celebram-se o Dia da Mamografia e o Dia do Mastologista, profissional habilitado para tratar das doenças da mama, entre as quais o câncer.

Advertisement

O câncer de mama é o segundo câncer mais incidente na mulher amazonense, conforme dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Mas tem cura na maioria dos casos quando diagnosticado precocemente.

Conforme Hilka Espírito Santo, para diagnosticar e tratar precocemente esta doença é fundamental fazer o exame considerado “padrão ouro”: a mamografia.

“A mamografia tem papel essencial quando se fala em câncer de mama, porque somente através da mamografia a gente consegue fazer o diagnóstico precoce, possibilitando uma melhor qualidade de vida às nossas mulheres”, disse.

Indicação

A mamografia deve ser realizada a partir dos 40 anos, segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM). E o Ministério de Saúde recomenda o exame a mulheres de 50 a 69 anos. O Ministério destaca, no entanto, que a mamografia para avaliar uma alteração suspeita na mama pode ser feita em qualquer idade, quando há indicação médica.

A orientação é que a mulher procure a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua casa, realize o atendimento médico e agende a sua mamografia.

Autoexame

Conforme a gerente do serviço de Mastologia da FCecon, é importante também que a mulher conheça seu corpo e faça mensalmente o autoexame das mamas, após a menstruação. Aquelas que não menstruam mais devem escolher um dia específico a cada mês para fazer o autoexame.

A mulher deve estar atenta aos seguintes sinais: nódulo fixo e geralmente indolor, pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja, alterações no bico do peito como retrações, pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço e saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos.

Novo fluxo

Desde 2022, o Amazonas conta com um novo fluxo de atendimento, que reduziu de 14 para 4 meses o tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento do câncer de mama.

Após a mamografia, caso a mulher possua indicação de biópsia, ela é encaminhada para o Serviço de Diagnóstico da Mama (SDM), da Prefeitura de Manaus. Se a biópsia confirmar que a mulher possui câncer, ela é encaminhada para a Fundação Cecon para dar início ao seu tratamento.

Advertisement

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *