Portal Você Online

Goleiro Carlos Miguel decide deixar o Corinthians, diz site

Carlos Miguel não terá titularidade facilitada após Corinthians buscar novo  goleiro medalhão

O goleiro Carlos Miguel deve se despedir do Corinthians nesta sexta-feira (7) para seguir a carreira na Inglaterra, no Nottingham Forest. O contrato de transferência ainda não foi assinado, mas a Gazeta Esportiva apurou que o goleiro já está apalavrado com o seu futuro clube e, agora, apenas aguarda o desfecho burocrático para oficializar a mudança.

Advertisement

Kia Joorabchian, famoso empresário iraniano e ex-parceiro do Corinthians, foi quem levou ao atleta a proposta do clube inglês. Carlos Miguel deu o aval para o negócio ser concluído e comunicou Fabinho Soldado, executivo de futebol do Timão, sobre a decisão de sair nesta janela de transferência.

Os envolvidos na negociação preferem manter o nome do futuro clube de Carlos Miguel em sigilo, por enquanto, pois as conversas caminharam para o combinado da multa rescisória ser depositada nesta sexta-feira. A intenção é revelar o time comprador após a confirmação do pagamento.

Advertisement

O Corinthians detém 80% dos direitos econômicos de Carlos Miguel. A multa rescisória está estipulada em 4 milhões de euros, equivalente a R$ 23 milhões na cotação desta quinta-feira (6). Sendo assim, o alvinegro deve receber R$ 18,4 milhões.

Carlos Miguel chegou ao Corinthians em outubro de 2021 e o atual vínculo tem vencimento datado para dezembro de 2025. Pelo Timão, ele entrou em campo em 23 partidas e passou a se destacar na atual temporada ao assumir a titularidade que era de Cássio antes do ídolo corintiano se transferir para o Cruzeiro.

Depois de perder Cássio e diante a iminente saída de Carlos Miguel, o Corinthians vai ficar, ao menos por ora, com as opões de Matheus Donelli, 22 anos, Felipe Longo e Matheus Roger, ambos com 19 anos, para assumir a posição.

A multa rescisória de Carlos Miguel para o futebol do exterior caiu de 50 milhões de euros para 4 milhões de euros a partir de janeiro de 2024, valor considerado baixo para clubes com alto poder de investimento e forte moeda local, como é o caso dos ingleses.

Essa condição contratual foi firmada durante a gestão de Duilio Monteiro Alves que, por meio de contato da sua assessoria de imprensa, apresentou explicações à Gazeta Esportiva.

“Sobre o contrato que foi feito na chegada do atleta, combinamos assim: no último ano de contrato, ou seja, a partir de janeiro de 2024, a multa cairia para 4 milhões de euros. Ele chegou de graça e o empresário (Gilmar Veloz) exigiu o contrato dessa forma”, disse.

Advertisement

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *