Israelenses deixam Brumadinho hoje e justiça bloqueia R$ 800 milhões da Vale

Militares das Forças de Defesa de Israel que atuam na tragédia de Brumadinho (MG) devem deixar nesta quinta-feira (31) o Brasil.

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, mais cedo, os integrantes da tropa israelense foram homenageados em cerimônia no 12º batalhão do Exército Brasileiro.

Os militares chegaram ao Brasil na noite do último domingo (27) com equipamentos que poderiam auxiliar nos trabalhos após o rompimento da barragem da mineradora Vale. No sétimo dia de buscas por vítimas, as autoridades contabilizam pelo menos 99 mortos e 259 pessoas desaparecidas.

Na noite de ontem (30) a Justiça do Trabalho em Minas Gerais bloqueou mais R$ 800 milhões nas contas da Vale S.A. para garantir o pagamento de débitos trabalhistas em razão da tragédia envolvendo o rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho. Somente nesta semana já foram bloqueados R$ 1,6 bilhão da mineradora para esse fim. 

Os bloqueios foram determinados em ação movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) em Minas no domingo passado. O processo calcula os custos com débitos trabalhistas em R$ 1,6 bilhão – R$ 800 milhões haviam sido assegurados na segunda-feira, e agora a Justiça bloqueou o restante. 

 Na segunda-feira, o MPT havia apresentado no processo um pedido de reconsideração da decisão que havia determinado o bloqueio de 50% do montante solicitado. 

A decisão judicial determina ainda que a mineradora arque com os custos de sepultamento dos funcionários, pagamento do salário dos trabalhadores vivos e familiares dos mortos e desaparecidos e a entrega de documentos necessários para a apuração das condições de segurança na mina de Brumadinho. 

A ação judicial e as investigações envolvendo o rompimento da barragem Mina Córrego do Fundão estão sendo conduzidas pelo Grupo Especial de Atuação Finalística (Geaf), composto por sete membros do MPT de Minas e outros estados. 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *