Portal Você Online

Médico veterinário é preso acusado de vender cetamina em clínica

Ele teria comprado cerca de 93 litros do produto, em pouco mais de um ano. Essa quantidade é suficiente para anestesiar pelo menos 1.249 cavalos

Realizada pela PCDF, na manhã desta sexta-feira(7/6), a operação Rouxinol resultou na apreensão de 10 frascos de cetamina  -  (crédito: PCDF)

Na manhã desta sexta-feira (7), policiais da 5ª Delegacia Polícia (Área Central), com apoio operacional da Divisão de Operações Especiais (DOE) da PCDF, desmantelaram um esquema de tráfico de cetamina para uso recreativo, ao executar a operação Rouxinol. A ação resultou na prisão em flagrante de um médico veterinário de 30 anos acusado de adquirir e distribuir a substância ilegalmente.

Advertisement

De acordo com a polícia, o médico se aproveitava da profissão de veterinário e do fato de ser proprietário de uma clínica veterinária, em Ceilândia, para comercializar o anestésico.

No decorrer das investigações, que duraram cinco meses, a PCDF apurou que, em pouco mais de um ano, o médico veterinário teria adquirido aproximadamente 93 litros do produto cetamina. Essa quantidade é suficiente para anestesiar pelo menos 124.933 gatos, 41.644 cachorros ou 1.249 cavalos.

Advertisement

Considerando a associação de outros fármacos para anestesia, essa quantidade poderia dobrar, evidenciando o potencial de abuso e risco à saúde pública. Durante a operação, foram apreendidos mais de 10 frascos de cetamina, reforçando as evidências contra o suspeito. O médico veterinário, que não possuía passagens anteriores pela polícia, será indiciado pelo crime de tráfico de drogas, podendo enfrentar uma pena de até 15 anos de prisão.

A operação teve o apoio técnico do Programa de Vigilância em Defesa Agropecuária para Fronteiras Internacionais (Vigifronteira), do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), responsável pelo controle da venda de cetamina. 

Advertisement

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *