Portal Você Online

Monitoramento alerta para 14 estações com possibilidade de seca severa na Amazônia; veja quais

O impacto severo é previsto, sobretudo, nas bacias dos rios Madeira, Mearin, Negro, Solimões, Tapajós e Tocantins/Araguai.

O Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), ligado ao Ministério da Defesa (MD), alertou sobre estiagem severa em 14 estações de monitoramento na região amazônica.

O órgão diz que nos meses de setembro a novembro, os níveis dos rios nessas estações podem chegar próximos da mínima histórica ou mesmo ultrapassá-la.

Advertisement

O impacto severo é previsto, sobretudo, nas bacias dos rios Madeira, Mearin, Negro, Solimões, Tapajós e Tocantins/Araguai.

Nesses locais, segundo o analista do Censipam Flavio Altieri, “muito provavelmente, vamos ter um período de seca bastante significativo, próximo do que aconteceu em 2023, quando ocorreu a maior estiagem da história da região”.

A conclusão se dá por uma análise das cotas dos níveis dos rios citados, que, “neste momento, estão mais baixos do que os níveis registrados no ano passado”, explica Altieri em nota do MD. De acordo com os dados apresentados, existem regiões que estão sem chuva há mais de 50 dias.

A iniciativa faz parte do projeto Pré-seca, que visa apoiar os estados da região nas estratégias de combate aos impactos da seca com um semestre de antecedência.

O período de seca, assim como o de cheias, tem um impacto significativo em áreas como economia, meio ambiente, navegação, abastecimento e condições de moradia.

Em entrevista ao programa Perspectivas, do SBT News, na semana passada, ao comentar incêndios que assolam a região do Mato Grosso do Sul, o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Rodrigo Agostinho, informou que há “previsões realmente muito alarmantes” quanto ao Pantanal e à Amazônia.

“Previsão é de que tanto Pantanal quanto Amazônia fiquem em seca até o fim do ano”, disse o presidente do Ibama.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *