Portal Você Online

Número de mortos em incêndios no Chile chega a 51

A fumaça sobe sobre a floresta durante um incêndio florestal em Vina del Mar, Chile, em 3 de fevereiro de 2024.
Incêndio florestal em Vina del Mar, Chile, ontem (3). / Lucas Aguayo Araos/Anadolu via Getty Images

O número de mortes nos incêndios no Chile subiu para 51, informou o Serviço Nacional de Prevenção e Resposta a Desastres (Senapred) chileno em entrevista coletiva. Anteriormente, o presidente do Chile, Gabriel Boric, disse que 40 pessoas tinham morrido durante os incêndios e outras seis enquanto eram tratadas em hospitais por queimaduras.

“Dadas as condições da tragédia, o número de vítimas certamente aumentará nas próximas horas”, disse Boric.

Da mesma forma, a prefeita de Viña del Mar, Macarena Ripamonti, disse que também havia 372 pessoas desaparecidas, embora a informação devesse ser verificada junto aos órgãos competentes, conforme explicou em declarações à imprensa.

Advertisement

Segundo a Senapred , até as 22h deste sábado, 37 incêndios florestais permanecem em combate, enquanto 46 já estão controlados.

O órgão informou ainda que os danos atingiram muitas moradias, sendo 70% delas partes de lotes e 30% de habitações. Além disso, foram montados 15 abrigos e, até a noite de sábado (3), havia 1.600 pessoas neles.

A ministra do Interior chilena, Carolina Tohá, relatou danos em pelo menos 1.100 casas e disse aos repórteres que os números poderiam aumentar à medida que as autoridades entrassem em áreas de difícil acesso.

Toque de recolher e estado de emergência

O presidente Boric decretou estado de emergência para as províncias de Marga Marga e Valparaíso devido aos incêndios florestais, informou neste sábado a delegada presidencial da região de Valparaíso, Sofía González Cortés.

Também foi estabelecido um toque de recolher obrigatório entre 08h e meio-dia nas comunas de Limache, Villa Alemana, Quilpué e Viña del Mar com o objetivo de facilitar a implantação de meios logísticos e de transporte de emergência.

Na sexta-feira (2), o Serviço Nacional de Prevenção e Resposta a Desastres (Senapred) informou que Valparaíso e Marga Marga foram colocadas em alerta vermelho devido a três incêndios florestais que até aquele momento afetavam um total de cerca de 565 hectares.

O incêndio mais extenso, segundo o relatório de sexta-feira, é o que se desenvolve no complexo Las Tablas e na reserva Lago Peñuelas, em Valparaíso, onde foram afetados 480 hectares, indicou o Senapred em boletim informativo.

Os outros dois incêndios ocorrem em Lo Moscoso, nas comunas de Quilpé e Villa Alemana, onde estão afetados 80 hectares, e na estrada Dos Locas, também em Valparaíso, os danos são de 5 hectares.

A Senapred informou que devido a esta situação foi ordenada a evacuação de alguns setores da comuna de Villa Alemana.

Boric disse em sua conta na rede social X (antigo Twitter) que forças do governo estão mobilizadas para controlar os incêndios.

Ele informou ainda que determinou à ministra do Interior, Carolina Tohá, a realização de reunião do Comitê de Gestão de Riscos e Desastres (Cogrid).

Boric pediu aos cidadãos que atendam às instruções das autoridades e evitem se expor a riscos.

Um preso

Pelo menos uma pessoa foi presa até agora em conexão com os incêndios florestais que devastam partes do Chile, informou a CNN Chile, afiliada da CNN, na noite de sábado, citando a polícia.

Segundo a polícia, o homem estava em sua casa na cidade de Talca, no centro do Chile, fazendo trabalhos de soldagem quando um incêndio começou acidentalmente e se espalhou pelas pastagens próximas, informou a CNN Chile. Não se sabe quando o incidente ocorreu.

A agência florestal do Chile, a Corporação Nacional Florestal (CONAF), e os bombeiros extinguiram o incêndio, mas cerca de 2 hectares de terra foram queimados. Nenhum ferimento foi relatado neste incêndio, de acordo com o relatório.

O suspeito será processado neste domingo em Talca, segundo a Promotoria de Maule, informou a CNN Chile.

Alerta de saúde

O Ministério da Saúde do Chile emitiu um alerta de saúde para a região de Valparaíso enquanto os bombeiros continuam a combater as chamas que ameaçam as comunidades.

A medida emergencial permite a contratação e transferência de pessoal, a suspensão de cirurgias programadas eletivas e não urgentes e a autorização para instalação de hospitais de campanha, segundo comunicado do ministério divulgado neste sábado.

E permite ainda a aquisição direta de bens, serviços ou equipamentos e confere ao ministério o direito de coordenar a rede de prestadores de saúde públicos e privados “aos níveis de cuidados de saúde primários, pré-hospitalares e hospitalares, incluindo a rede de grandes queimados”, entre outras medidas.

O ministério não informou por quanto tempo o alerta sanitário vigorará. Durante entrevista coletiva neste sábado, a ministra da Saúde, Ximena Aguilera, disse que cinco unidades de saúde foram evacuadas em regiões próximas a Valparaíso como precaução contra incêndios.

Advertisement

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *