Procon-AM orienta consumidor sobre variação de preços cobrados no comércio

Norma que regula as condições de oferta e afixação de preços de bens e serviços no mercado, a Lei nº 10.962/2004 determina que, quando houver diferenciação de valor sob um mesmo produto, o consumidor deve pagar o mais barato.

Ainda assim, neste ano, 81 pessoas procuraram o Instituto de Defesa do Consumidor para denunciar que alguns estabelecimentos não estão cumprindo com esta regra.

O número de reclamações dobrou se comparado ao que foi registrado em 2021, quando foram feitas 39 queixas.

Em situações como essas, o diretor Presidente do Procon-AM, Jalil Fraxe, orienta ao consumidor que exija seus direitos.

A única exceção à regra é no caso de o preço anunciado ser excessivamente menor que o preço de mercado.

Pois, desta forma, há um desequilíbrio econômico em desfavor do fornecedor em decorrência de um “erro grosseiro de oferta”.

Outra situação muito comum e que deixa o consumidor com dúvidas é com relação à diferenciação de preço de acordo com a forma de pagamento, seja no dinheiro, Pix ou cartão de crédito, segundo o órgão fiscalizador, essa diferenciação é permitida.

O que é proibido no pagamento feito com cartões de crédito ou débito é a exigência de um valor mínimo para efetuar a compra. Isso porque essa conduta configura venda casada, que é vedada pelo Código de Defesa do Consumidor.

Denúncias podem ser feitas por meio do telefone: 0800 092 1512.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *