Vídeos: prévias do PSOL terminam em pancadaria no AM

A reunião do último sábado (4), com filiados do PSOL-AM para a escolha do pré-candidato ao Governo do Estado acabou em pancadaria. Segundo um dos pré-candidatos, o advogado Marcelo Amil, tudo se deu a partir do anúncio em que a também advogada Natália Demes não poderia participar das prévias nem mesmo ser inscrita como candidata, uma vez que ela é filiada ao partido pelo PSOL-PR e não pelo Amazonas, onde deseja concorrer o pleito.

Na primeira semana do mês de junho, Natália Demes apresentou o nome dela ao partido e disse de sua intenção em concorrer às eleições deste ano, e que disputaria com outros colegas a vaga da sigla. Na ocasião, ela usou as redes sociais para tornar público e escreveu: “agora você tem escolha!”, e ainda acrescentou: “mulheres que arrancam do presente o direito ao futuro”.

Porém, no dia da reunião, somente os nomes de Marcelo Amil e Hebert Amazonas constavam nas inscrições,. Em dado momento, quando ocorreu a informação em que dizia que a Natália Demes não era filiada pelo Estado, começaram as agressões.

“Os apoiadores da pré-candidata Natália Demes descobriram que ela não é filiada ao PSOL Amazonas, sendo portanto inelegível no Estado, e assumiram uma postura de agressividade que culminou em atos de selvageria. É inadmissível que no PSOL, um partido com história e tradição democrática, um grupo de treze filiados tente impor sua vontade sem ouvir ninguém da militância que constrói o partido”, disse o também pré-candidato Marcelo Amil.

Amil disse ainda que, “são mentirosos aqueles que dizem defender a voz do povo na sociedade mas internamente tentam suprimir a voz dos filiados da base. Se qualquer um de nós for candidato será sob o manto da democracia interna, pois é nisso que acreditamos, é isso que manda o estatuto do partido e é isso que o PSOL sempre defendeu historicamente”, pontuou Amil.

No encontro ocorrido no Atlético Rio Negro Clube, onde funciona o diretório regional do partido, virou então palco de muita confusão e conflitos, com direito a pancadaria, inclusive, conforme vídeos.

HERBERT AMAZONAS

O pré-candidato Herbert Amazonas enviou nota conjunta com Amil e frisou:

“Em relação aos lamentáveis acontecimentos ocorridos na reunião determinada pela direção nacional e sabotada por filiados que se acham donos do partido externamos nossa profunda repulsa ao ocorrido.”

NATÁLIA DEMES

“Não aceitaremos que o PSOL seja patrimônio de meia dúzia de incompetentes que não sabem sequer quando alguém é filiado ao partido ou não. O PSOL é patrimônio da luta da classe trabalhadora.”

Nas redes sociais, Natália Demes disse que mantém seu nome na disputa pelo Governo do Amazonas e que a forma de escolha (se por prévia ou por convenção) ainda não foi debatida internamente.

Ela também afirmou que sofreu violência política e cita Fernanda Fernandes, segundo ela, agredida fisicamente por um grupo do local.

Fernanda Fernandes também escreveu sobre a suposta violência nas redes sociais. Segundo ela, “tentaram silenciar outra mulher, a Victória Nogueira, e considerou o ato “machista, de pessoas atrasadas”, dos quais ela repudia.

A presidente do diretório regional, Rosilane Almeida, enviou nota sobre o assunto e disse que o ocorrido será repassado para a executiva nacional, que deverá orientar a regional do procedimento que deve seguir.

Leia nota da presidente

NOTA DA PRESIDÊNCIA SOBRE O FATO

Em 24/06 recebi da direção nacional a seguinte determinação que transcrevo ipsi literi:

Que a polêmica sobre o método de decisão da tática eleitoral, seja via prévias ou conferência eleitoral, seja decidido após debate amplo e no caso de impasse, deliberado por votação com maioria simples, no orgão máximo decisório do estado que é seu Diretório Estadual, e seja respeitada sua autonomia. Que esta reunião ocorra em até sete dias, tendo em vista que o prazo das decisões eleitorais está se encerrando.
Que qualquer outro processo decisório sobre a tática eleitoral que não seja apreciada e aferida pelo Diretório Estadual do PSOL Amazonas não tem validade.
Em atenção à resolução acima publiquei na data de 27/06 edital convocando a militância do PSOL para o debate amplo determinado.
Antes do início do debate um grupo de treze filiados apoiadores da pré-candidatura da advogada Natália Demes descobriu que ela não é filiada ao PSOL Amazonas, e mudou radicalmente de postura, assumindo atos de tumulto e agressividade visando impedir o debate determinado pela executiva nacional, o que culminou em episódios lamentáveis onde vimos uma filiada simulando ter sido agredida, (agressão desmentida por imagens), vimos um filiado agredindo com um soco um idoso de 62 anos, vimos um filiado jogando uma cadeira que atingiu uma filiada negra, mulher, soropositiva.
Este mesmo grupo que no sábado tentou impedir o cumprimento da deliberação da executiva nacional foi o grupo que em maio realizou uma reunião ilegal usurpando o estatuto do partido, e teve suas ações suspensas por decisão judicial que inclusive impôs multa caso praticassem novamente.
Este mesmo grupo é responsável por um rombo financeiro de R$ 34.000,00 que até hoje inviabiliza as finanças do partido.
Este mesmo grupo sabotou o partido em 2020 apresentando apenas cinco candidaturas fazendo com que o PSOL, mesmo tendo a 5ª candidatura mais votada no pleito, não elegesse ninguém.
Quando assumi a presidência do PSOL mudei-me de Itacoatiara pra Manaus pra poder conduzir o partido adequadamente. Desde então enfrento sabotagens por racismo e machismo. Ao contrário deles, não possuo formação acadêmica. Sou agricultora, tenho mais de trinta anos de luta nos movimentos sociais e não admitirei que filiados se coloquem em posição de superioridade a mim porque possuem esta formação acadêmica que o partido luta que todos possam vir a ter.
Estas atitudes ofendem o que está escrito em nosso estatuto e ofendem os valores pelos quais o PSOL luta. Não tolerarei esses absurdos. Orientei os filiados agredidos que me procuraram a tomarem as medidas jurídicas cabíveis.
O debate amplo será defendido até as últimas consequências pois essa foi a determinação nacional e era o anseio da esmagadora maioria dos filiados presentes e dos diretórios de Tefé e Itacoatiara, que enviaram suas declarações em favor das prévias.
Reportarei os fatos à direção nacional, apontando os responsáveis e reafirmando o encaminhamento de que os rumos do PSOL Amazonas serão decididos em conformidade com os direcionamentos estatutários e com base em nossos princípios democráticos.
Rosilane Guimarães de Almeida
Presidenta do PSOL/AM

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *