Portal Você Online

Começa em Manaus, Encontro de Profissionais da Dança do Amazonas

O Fórum Permanente de Dança do Amazonas apresenta o 3º Encontro de Profissionais da Dança do Amazonas “Organizar para avançar”, do dia 11 a 13 de julho de 2024, nos espaços Centro Cultural Palácio da Justiça e Auditório Adair de Palma ESAT/UEA, ambos no centro da cidade.

O 3º Encontro dos Profissionais da Dança do Amazonas (Enprodam) é uma iniciativa do Fórum Permanente de Dança do Amazonas (FPDAM), realizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Amazonas. O evento é gratuito.

O encontro é realizado desde 2022, quando ocorreu a primeira edição. Em 2023 aconteceu a segunda edição, e em 2024 será realizada a terceira edição, com o objetivo de integrar diálogos e ampliar as investigações em dança na Amazônia contemporânea através de palestras, mesas temáticas, apresentações artísticas e formações que resgatem a importância da comunidade, subvertam ideais coloniais e apontem caminhos na inserção, integração e manutenção do artista amazônida no mercado de trabalho.

Advertisement

Segundo Jady Castro, membro da comissão organizadora do 3º Encontro de Profissionais da Dança do Amazonas, a edição de 2024 do Enprodam promete ser histórica, com representantes de cinco municípios participando ativamente.

“Essa edição 2024 é especial, queremos avançar na discussão política sobre nosso ofício: dança. Estamos em momento de reorganização e organização dos trabalhadores da dança no Amazonas, queremos retomar nossa Associação, fundar uma federação para futuramente fundar nosso sindicato, para isso, organizar e formar coletivos é fundamental para esse processo”, afirma.

“Isso nos mostra avanço na organização dos trabalhadores, e marca o começo de mudanças necessárias na categoria, por isso, o slogan ‘organizar para avançar’”, conclui Jady.

Programação

No dia 11 de julho (quinta-feira), às 16h, a abertura será realizada no Centro Cultural Palácio da Justiça, e inclui Performances Artísticas, apresentações do III Encontro Enprodam e uma palestra sobre a conjuntura do Amazonas e o papel dos trabalhadores da dança na reconstrução do estado.

Haverá também uma mesa temática, trazendo mulheres, raça, classe, dança e memória, abordando reflexões e iniciativas organizativas baseadas na luta das mulheres.

E no dia 12 de julho (sexta-feira), às 16h, o evento acontecerá no Auditório Adair de Palma ESAT/UEA, e apresenta um espetáculo que narra a história de uma mulher em isolamento que tenta se proteger do vírus, não apenas o biológico, mas também do patriarcado.

Em seguida, haverá uma palestra sobre dança e políticas públicas para a região Norte, seguida por uma mesa temática que discutirá o papel dos representantes da sociedade civil nos espaços de discussão política da dança no estado do Amazonas.

A programação do dia 13 de julho (sábado), às 15h, acontecerá no Centro Cultural Palácio da Justiça e apresenta um espetáculo que retrata de forma pessoal a força e resistência necessárias diariamente para se manter vivo.

Além disso, inclui uma palestra sobre a luta pelo território e justiça climática no Amazonas, seguida por mesas redondas com os temas “Juventude e as perspectivas do futuro em dança no estado do Amazonas” e “Pesquisa criação e resistência: Dança como ofício nos municípios do Amazonas”. A programação também conta com uma apresentação artística intitulada “Cenas Populares” e encerra com um coquetel.

Participantes

Na edição de 2024, haverá a participação presencial de trabalhadores de Dança dos municípios de Novo Airão, Urucurituba, Presidente Figueiredo, Barcelos e Maués, debatendo sobre pesquisa, criação e resistência: dança como ofício nos municípios do Amazonas, além da participação especial da Professora Dra. Arminda Mourão e Driz Rolim, com a palestra sobre Neoliberalismo e o papel dos trabalhadores da dança na construção do estado sem violência, injustiça, destruição da floresta e desigualdades.

Rui Moreira, diretor de Artes Cênicas da Funarte vai participar via on-line com palestra sobre políticas públicas para a região Norte. Haverá uma Palestra sobre a luta pelo território e justiça climática no Amazonas, com a cacica Milena Kukama,

A juventude também será contemplada com um debate sobre Juventude e a perspectiva da dança no estado. Haverá também debate sobre Mulheres, Raça, Classe, dança e memória: organização da classe da dança pela luta das mulheres.

FAD 2024

O 3º Enprodam antecede o 12º Festival Amazonas de Dança (FAD 2024), e norteado pelo resgate, reconstrução e preservação das diversas manifestações em dança no Amazonas, propondo as seguintes reflexões: qual a conjuntura atual da dança no Amazonas? Quem são os trabalhadores da dança no Amazonas? Como retomar colegiados representantes dos trabalhadores da dança no Amazonas? Como a dança pode contribuir com a transformação social, econômica e ambiental do estado?

Sendo assim, com o intuito de aprofundar os diálogos sobre arte e política para dança e contribuir com os estudos de novas indústrias culturais no Amazonas, que surge esta terceira edição com uma proposta de programação a fim de expandir o olhar, a visão crítica e iniciar a retomada de entidades, organizações, coletivos e movimentos representativos dos trabalhadores de dança no estado do Amazonas.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *