Portal Você Online

Nível do Rio Negro fecha janeiro 53 centímetros abaixo do ano passado, da vazante histórica

A cota da água do Rio Negro, em Manaus, ficou em 21,17 metros (m) no último dia de janeiro de 2024, 53 centímetros abaixo da registrada na mesma data de 2023 (21,70 m), ano da maior vazante registrada, de acordo com os dados medidos pelo Porto de Manaus.

A cota ficou 3,26 metros abaixo da registrada em 31 de janeiro de 2021 (24,43 m), ano da maior cheia. Nesta sexta-feira (02/02), a cota ficou em 21,28 m, com subida de 8 centímetros (cm).

Os números do Porto de Manaus apontam que a velocidade de subida das águas do rio Negro, no final de janeiro deste ano, também ficou abaixo da do ano passado. As águas subiram 5 cm em 31/01/2024, contra 11 cm na mesma data de 2023. Em 31/01/2021, havia subido 6 centímetros

Advertisement

A maior cheia já registrada no Porto de Manaus, de 30,02 m foi em 16/06/2021. A maior vazante, de 12,70 m, foi em 26/10/2023.

De acordo com o último Boletim de Alerta Hidrológico da Bacia do Amazonas, do Serviço Geológico Brasileiro (SGB), com dados de 26/01/2024, na semana anterior, o rio Negro desceu uma média diária de 2 centímetros (cm) em Tapuruquara e Barcelos (AM). Já em Manaus, o rio continuava em processo de enchente, com subidas menores, na ordem de 4 cm diários e com níveis considerados normais para a época.

O rio Branco, um dos maiores afluentes do Negro, de acordo com o SGB, apresentou oscilações no processo de recessão em Boa Vista (RR), onde os níveis estão abaixo da faixa da normalidade para o período. Em Caracaraí (RR) foram registradas pequenas descidas diárias ao longo da semana.

O rio Solimões iniciou a semana com descidas em Tabatinga, mas nos registros mais recentes voltou a subir. Na parte média da calha, em Itapéua, o Solimões continua em processo de enchente, com subidas médias diárias na ordem de 2,4 cm. Em Manacapuru, o rio também apresenta elevações regulares na ordem de 4,6 cm. As estações monitoradas desta calha registram níveis com valores normais para o período.

Na Bacia do rio Purus, o rio Acre em Rio Branco apresentou subidas acentuadas nos registros mais recentes. Já em Beruri, manteve o processo de enchente, com uma pequena diminuição da intensidade de subida.

Nos últimos dias, o rio Madeira voltou a subir em Porto Velho e registrou subida acentuada em Humaitá.

Na semana do levantamento do SGB, o rio Amazonas manteve o comportamento de enchente, registrando subidas regulares nas estações monitoradas nesta calha que apresentam níveis próximos a faixa normalidade para o périodo.

Durante o período em análise, 26 de dezembro a 24 de janeiro, estação chuvosa em grande parte da região amazônica, foram observados aumento dos volumes de precipitação sobre diversas bacias da área de monitoramento, volumes mais elevados nas bacias localizadas na região central, os menores no extremo norte da área monitorada.

Advertisement

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *