Portal Você Online

Preso dono do carro usado para assassinar servidor do TCE-AM

PC-AM realizou a terceira fase da Operação Legisperitum e prendeu o último envolvido na morte do advogado Erwin Godinho.

Vítima o advogado Erwin Rommel Godinho Rodrigues

Edney Fernandes Vieira, apontado como dono do veículo utilizado na execução do advogado e servidor do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), Erwin Rommel Godinho Rodrigues, foi preso, na segunda-feira (25), em Manaus. Ele também seria o responsável por arranjar o atirador e o motorista do crime.

O advogado e servidor do TCE-AM foi assassinado a tiros, após sair de um restaurante, no dia 11 de novembro de 2023, na avenida Santos Dumont, bairro Tarumã, zona oeste da capital. Vítima era primo da presidente eleita do TCE-AM, Conselheira Yara Lins

Primeiro preso

Advertisement

Hewerton Kauan Oliveira Cavalcante, 18, preso no dia 4 de dezembro de 2023, apontado como o pistoleiro que tirou a vida do advogado e servidor, disse à polícia que foi contratado e receberia a quantia de R$ 5 mil.

Durante o depoimento à polícia, Hewerton disse que iria receber R$ 5 mil pelo serviço, mas esse valor não lhe foi repassado. Ele também diz que não sabe quem o contratou para matar o advogada, porém, a polícia acredita que ele esteja mentindo.

Segundo preso

No dia 5 de dezembro de 2023,  João Gabriel da Silva Almeida, conhecido como “O GB”, foi preso, junto com outros membros de uma organização especializada em roubos a clínicas médica de Manaus. Além disso, segundo a polícia, o suspeito também tem envolvimento na morte do advogado e servidor. “GB” alegou informalmente que a motivação seria uma dívida que a vítima cobrava no estado Bahia.

Nessa ocasião, segundo o delegado Cícero Túlio, titular do 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), as investigações contra a organização especializada em roubos a clínicas médica cruzou com a investigação da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

“A gente estava investigando essa quadrilha que supostamente seria especializada em realizar diversos furtos em clínicas médicas de Manaus. Durante o curso das investigações acabamos cruzando com a investigação da DEHS. O veículo que teria sido utilizada na prática desse assaltos as clínicas também teria sido utilizado como apoio durante uma execução de um servidor do Tribunal de Contas”, disse o delegado.

Ainda segundo o titular do 1º DIP, “GB” falou que a motivação da execução seria uma dívida que estaria sendo cobrada por parte de Erwin Rommel em razão de de honorários advocatórios no estado da Bahia. “GB” informou que ele e Hewerton Kauan Oliveira Cavalcante, 18, teriam a função de sequestrar o servidor só que durante a ação criminoso o pistoleiro acabou se assustando e executando a vítima.


Terceiro preso


Já no dia 19 de dezembro de 2023, Israel da Silva foi preso apontado de ser o mandante da morte do advogado e servidor. Segundo a polícia, o homem seria sócio da vítima e estava sendo cobrado por uma dívida em razão de honorários advocatórios de um contrato feito na Bahia.

Na ocasião, o delegado Ricardo Cunha, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), informou que Israel e Erwin estavam trabalhando juntos na regularização fundiária de terras quando Israel propôs um contrato ao sócio. Porém, ainda segundo a polícia, os honorários não foram pagos e Erwin começou a cobrar a dívida.

“Israel é a pessoa que planejou e participou diretamente desse crime. Câmeras de segurança mostram o momento que Israel se comunica com o atirador para avisar que a vítima estava saindo do restaurante”, disse o delegado.

A polícia também informou que no momento em que estavam no restaurante, Erwin teria comentado que iria denunciar o caso na Polícia Federal (PF) o que pode ser mais uma motivação para o crime.

O delegado disse que o contrato foi feito na Bahia e o valor seria de R$ 1,5 milhão, mas segundo familiares a dívida já estaria próximo a R$ 3 milhões. “Ainda não verificamos o valor porque não temos acesso ao contrato que está na comarca de outra federação”, disse.

Em depoimento, Israel negou participação no crime, mas confessou que conhecia Hewerton Kauan Oliveira Cavalcante, 18, pistoleiro do crime e que foi preso no dia 4 de dezembro.

Advertisement

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *