Sarampo, H1N1 e agora a Dengue ameça a saúde da população

Dados epidemiológicos, até 2 de fevereiro, apontam necessidade de gestores e população intensificarem ações de combate mosquito transmissor da doença. No Amazonas foram notificados 298 casos.

O Ministério da Saúde informa que o número de casos prováveis de dengue no Brasil, em janeiro deste ano, mais que dobrou em comparação ao mesmo período de 2018.

Até o dia 02 de fevereiro, registrou-se aumento de 149%, passando de 21.992 para 54.777 casos prováveis da doença. Quando verificado a incidência, em 2019, os casos chegam a 26,3 por 100 mil habitantes. 

Em relação ao número de óbitos, o país registrou, até o momento, cinco mortes, sendo: Tocantins (1), São Paulo (1), Goiás (2) e Distrito Federal (1). Em 2018 foram notificados 23 óbitos.

Os dados epidemiológicos alertam para a necessidade de intensificação das ações de eliminação dos focos do Aedes aegypti em todas as regiões. São ações que envolvem gestores estaduais, municipais e Governo Federal, e a população.

É essencial fazer do combate ao mosquito uma rotina de toda a sociedade em qualquer época do ano, embora, o verão seja a estação mais propícia para a proliferação do vetor. São medidas simples a serem adotadas, porém, eficientes, como manter bem tampado tonéis, caixas e barris de água; trocar água dos vasos de planta uma vez por semana; manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo; e acondicionar pneus em locais cobertos.

Amazonas mantém em 2,3% número de casos de dengue

Dados do Ministério da Saúde apontam que o número de casos prováveis de dengue no estado do Amazonas manteve-se praticamente o mesmo. A redução foi de 2,3% em comparação com o mês de janeiro de 2018. Até o dia 02 de fevereiro, o estado notificou 298 casos da doença. No mesmo período de 2018, foram registrados 305 casos de dengue.

Situação epidemiológica do estado em relação a dengue, chikungunya e zika no link abaixo:

AmazonasDengueChikungunyaZika

Número de casos 2018

305

3

25

Número de casos 2019

298

13

2

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *