Shakira será julgada por fraude fiscal na Espanha

Videografia de Shakira – Wikipédia, a enciclopédia livre

A estrela pop colombiana Shakira será julgada em Barcelona por suposta fraude fiscal, em data ainda a ser determinada, de acordo com uma ordem judicial espanhola divulgada esta semana. O tribunal não impôs nenhuma medida cautelar até o julgamento.

“Acorda-se abrir o julgamento no Tribunal Provincial de Barcelona (…) contra Shakira Isabel Mebarak Ripoll, como suposta autora” de seis crimes contra a Fazenda Pública, indica o despacho de um tribunal da periferia de Barcelona, com data de 19 de setembro. 

No fim de julho, o Ministério Público pediu mais de oito anos de prisão e uma multa de quase 24 milhões de euros (23,1 milhões de dólares) para Shakira, acusada de ter fraudado 14,5 milhões de euros (14 milhões de dólares) do Tesouro espanhol entre 2012 e 2014. 

O Ministério Público acusa a cantora de ter usado uma “rede corporativa” criada anos antes para não pagar impostos na Espanha nos anos de 2012, 2013 e 2014, apesar de já residir no país mais do que os 183 dias por ano estipulados por lei.

Cantora nega

A artista, de 45 anos, conhecida por sucessos internacionais como Waka WakaHips Don’t Lie e Chantaje, sempre negou as acusações.

“Essas acusações são falsas”, afirmou Shakira em entrevista publicada em 21 de setembro pela revista Elle, na qual disse ter “a confiança de ter feito as coisas da forma mais correta e transparente desde o primeiro dia”.

O Ministério Público e a defesa da cantora buscaram um acordo para evitar o julgamento, mas em julho Shakira desistiu dessa possibilidade, ao mostrar-se confiante de que “a justiça lhe dará razão”, segundo seus representantes legais em Barcelona, onde a estrela reside.

“O Ministério Público se empenhou em recolher o dinheiro ganho nas [suas] turnês internacionais e no The Voice, o programa de televisão americano em que foi juíza, num período em que ‘ainda não era residente na Espanha'”, denunciaram seus representantes na época.

Em entrevista à Elle, Shakira acusou o Tesouro espanhol de recorrer a “uma campanha lasciva da imprensa para tentar influenciar as pessoas e pressionar a mídia com a ameaça de danos à reputação para forçar acordos de conciliação”.

“Todos sabem que as autoridades fiscais espanholas costumam fazer isso não apenas com pessoas conhecidas como eu, ou [Cristiano] Ronaldo, Neymar, [Xabi] Alonso e muitos mais, mas também injustamente com outros contribuintes anônimos”, acrescentou a cantora.

O MP alega que Shakira morava na Espanha pelo menos desde o ano fiscal de 2012, logo após sua relação com o jogador do FC Barcelona, Gerard Piqué, ter sido divulgada, mas ela manteve até 2015 sua residência fiscal nas Bahamas, consideradas um paraíso fiscal. 

O casal, que tem dois filhos, anunciou a separação em junho. 

Shakira apareceu nos chamados Pandora Papers, uma extensa investigação de milhões de documentos vazados publicada em 2021 pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, que acusou centenas de personalidades de terem recorrido a paraísos fiscais, principalmente para fugir do Tesouro.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *