Portal Você Online

IR: golpe da malha fina rouba dados de contribuintes

Receita Federal registra 870 mil contribuintes na malha fina do IRPF 2021

Golpistas estão aproveitando os últimos dias de prazo para entregar a declaração do Imposto de Renda 2023 para tentar aplicar o “golpe da malha fina” nos contribuintes, segundo alerta da Receita Federal.

Os criminosos enviam um link malicioso por email ou mensagem de texto com a falsa informação de que a declaração do contribuinte caiu na malha fina e há erros que devem ser corrigidos até o dia 31 de maio, data final para prestar contas.

Para tentar tornar a informação real, além de utilizar o nome da Receita Federal, os golpistas enviam uma espécie de PDF, afirmando conter informações detalhadas sobre o procedimento para correção dos erros.

Advertisement

No assunto da mensagem, os criminosos utilizam a sigla IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física) e se referem às possíveis vítimas como “contribuintes”, termo que costuma ser utilizado pela Receita quando faz comunicados aos cidadãos.

Ao clicar no link ou fornecer informações pessoais respondendo o suposto email do fisco, o contribuinte pode ter diversos dados roubados, como número do CPF, da conta bancária, endereço, entre outros.

Os golpistas tentam enganar o contribuinte com algumas informações importantes, que parecem verdadeiras. Uma delas é que a declaração do IR tem erros, algo que pode ocorrer com qualquer contribuinte que declara o Imposto de Renda.

Outra falsa informação é a de que é preciso fazer a correção até esta quarta-feira (31). De fato, quem comete erros no IR tem vantagens caso consiga corrigi-los até 31 de maio, último dia para envio das declarações. O motivo é que, quando corrige as falhas neste prazo, o contribuinte pode mudar a forma de tributação, se por deduções legais ou desconto simplificado e vice-versa, para a que lhe for mais vantajosa.

“Por meio dessas mensagens falsas, quadrilhas especializadas em crimes pela internet podem obter, ilegalmente, informações fiscais, cadastrais e financeiras dos contribuintes, ou instalar programas nos computadores que captam e enviam informações pessoais. Essas práticas criminosas têm se tornado cada vez mais sofisticadas”, diz a Receita, em nota.

Dentre os alertas emitidos pela Receita está o de que o órgão não envia comunicações por email ou mensagens de texto solicitando a correção de erros em declarações por meio de links. Além disso, o órgão reforça que a única forma de saber se há alguma pendência na declaração é pelo extrato do IR, no e-CAC, que é o Centro de Atendimento Virtual da Receita Federal e por meio do “Meu Imposto de Renda”.

Como evitar o o golpe

Desconfie de emails ou mensagens de origem desconhecida que solicitam informações pessoais, especialmente relacionadas à declaração do Imposto de Renda; Nunca clique em links suspeitos ou desconhecidos, pois podem direcionar você a sites maliciosos ou baixar programas prejudiciais em seu dispositivo;

Não abra arquivos anexados, pois normalmente são programas executáveis que podem causar danos ao computador ou capturar informações confidenciais do usuário;

Verifique sempre a autenticidade das comunicações que parecem ser da Receita Federal.

Lembre-se de que a instituição utiliza principalmente o Portal e-CAC (Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte) e o site da própria Receita para comunicação com o contribuinte

Como saber se caiu na malha fina

Segundo a Receita, quando o contribuinte envia a declaração, ela passa por uma análise automática nos sistemas do fisco, onde são verificadas as informações enviadas pelo cidadão e as de empresas e pessoas físicas, sejam fontes pagadoras ou prestadores de serviços que receberam pagamento do contribuinte.

Esses dados têm que bater, senão, a declaração será separada para uma análise mais profunda, procedimento chamado de malha fiscal ou malha fina, como é popularmente conhecido. O contribuinte não recebe a restituição enquanto não sai da malha.

As informações sobre os erros na declaração estão acessíveis pelo e-CAC, no Meu Imposto de Renda. Em “Processamento”, é possível saber o que aconteceu com o IR ao clicar em “Pendências de Malha”. Se o erro na declaração foi do contribuinte, é preciso enviar uma retificadora. Se foi de fontes pagadoras, é preciso entrar em contato e pedir a correção para essa fonte.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *