Dois novos casos suspeitos de varíola dos macacos são investigados no Amazonas

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), está investigando dois novos casos suspeitos de varíola dos macacos (monkeypox), no Amazonas.

De acordo com a SES-AM, as novas pacientes são mulheres, uma de 26 e outra de 31 anos. Os casos foram notificados ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Fundação de Vigilância em Saúde.

As pacientes apresentam sintomas de dor no corpo, febre, fotossensibilidade, dor de garganta e pústulas, segundo a secretaria.

Na semana passada, a A Fundação de Medicina Tropical notificou o Ministério da Saúde sobre o primeiro caso suspeito de Varíola dos Macacos na unidade no Amozonas. A notificação, emitida na sexta-feira (1), foi confirmada pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP).

O paciente jovem, sem comorbidades, foi atendido e notificado junto ao sistema de vigilância epidemiológico e ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) e segue em acompanhamento clínico e de vigilância epidemiológica, em isolamento domiciliar, já com retorno programado para atendimento e novos exames. Pessoas que tiveram contatos com o paciente também estão sendo investigadas.

Monitoramento

A SES-AM informou em nota, que vai monitorar pessoas que tiveram contato com o paciente que apresenta sintomas ‘sugestivos’ da varíola dos macacos. Desde sexta-feira (1), a SES está investigando o caso.

O documento diz ainda que também foram adotadas medidas de contenção, como monitoramento dos contatos domiciliares, assim como será realizado o rastreio de outros contactantes para monitoramento.

As amostras coletadas pelo Laboratório Central serão encaminhadas para detecção do genoma viral e, ainda, para a realização dos exames no laboratório de referência nacional para os estados da Região Norte

Sintomas

Os principais sintomas incluem: dor de cabeça, dor nas costas, dores musculares, febre, exaustão, calafrios e gânglios inchados. No período de 1 a 3 dias após o surgimento da febre, o paciente desenvolve lesões, as erupções cutâneas começam a aparecer no rosto e se espalham para outras partes do corpo.

Proteja-se

A higienização das mãos, o uso de máscaras e o distanciamento social são as orientações reforçadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária para evitar o contágio da doença, que também ajudam na proteção contra Covid-19.

A varíola dos Macacos é uma doença zoonótica viral, cuja transmissão para humanos pode ocorrer por meio do contato com animal ou humano infectado.

A transmissão entre humanos ocorre, principalmente, por meio de contato pessoal com secreções respiratórias, lesões de pele de pessoas infectadas ou objetos recentemente contaminados.

Trabalhadores da saúde, membros da família e outros contactantes são pessoas com maior risco de contaminação, já que a transmissão via gotículas respiratórias, usualmente, requer contato mais próximo entre o paciente infectado e outras pessoas.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *